Posted on

FEEDBACK DO SEXO

Nos tempos modernos falar sobre sexo está ficando cada vez mais comum nas rodas de amigos, clubes da Luluzinha (encontro de amigas), redes sociais e até mesmo entre família. Assuntos que durante muitos anos foram considerados tabus, hoje ouve-se, comenta-se e busca-se cada vez mais informação, esta, diga-se de passagem uma aliada na busca constante pelo prazer mútuo.
Ao longo dos anos, fomos crescendo e desenvolvendo crenças, mitos e medos que nos causam bloqueios em relação a nossa sexualidade, a falta de cumplicidade e de intimidade do casal acabam atrapalhando na HORA H inibindo muitas vezes a realização de desejos e vontades oprimidas. Quando conversamos com nosso parceiro (a) sobre como, quando, onde, de que forma gostamos do sexo, tudo fica mais fácil. Este dialogo é fundamental para um bom entrosamento. Cada pessoa tem seus locais específicos de maior prazer, pontos de excitação e tipos de estímulos preferidos. Mas para cobrar é preciso primeiro saber quais sãos os seus.

MEMÓRIA SEXUAL: Nossos Órgãos tem memória (pênis, vagina, anus) , se em algum momento da sua vida você sentiu dor, incomodo, dor durante a relação, fez algo contra vontade, isto pode estar causando desconforto na hora do sexo, pois involuntariamente a sensação é transmitida para o órgão, bloqueando muitas vezes o prazer. O mais correto é buscar uma ajuda, tenha a iniciativa.

NÃO CRITIQUE: lembre-se de não fazer com os outros, aquilo que você também não gosta. Elogie, saliente as qualidades, quando nos sentimos envaidecidos temos uma melhor resposta sexual.

FOCO NA SOLUÇÃO: Ao invés de ficar reclamando, corra atrás da sua felicidade. Problemas como perda de ereção, falta de lubrificação, ausência de prazer, podem ter um fundo emocional, converse, foque na solução e NÃO no problema.

FEEDBACK: pergunte, questione, escute, entenda, observe, tudo com atenção que for lhe dito para a melhora do relacionamento. Mas se desarme, não veja como Críticas e sim como Conselhos para a melhora do seu prazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *